A história da União Planetária (UP) começa muito antes de sua inauguração em 1997. Um grupo de amigos e idealizadores de livre pensamento, de várias áreas distintas, reuniam-se para discutir política e espiritualidade, e, em uma dessas conversas, decidiram que era preciso agir. A OSC (Organização da Sociedade Civil) nasceu com uma vontade enorme de fazer o bem a partir da percepção de que a unidade da vida se completa com uma atitude amorosa e solidária. A UP iniciou suas atividades desenvolvendo e apoiando projetos sociais, educacionais e de comunicação no Brasil e no mundo, disseminando exemplos positivos e os resultados produzidos por quem acredita na evolução da humanidade através dos valores e do relacionamento saudável entre todos.

No ano de 2007, a OSC criou a TV SUPREN, que teve seu sinal distribuído para mais de 20 estados brasileiros, para realizar uma comunicação amorosa de mudança de paradigmas. SUPREN em esperanto indica o sentido “para cima”, “para o alto”, como UP em inglês.

Os meios de comunicação têm um papel fundamental na sociedade moderna, mas o fato é que há uma escassez de mensagens positivas e de boas notícias. Atualmente, a TV SUPREN, rebatizada de Canal SUPREN, está 24 horas no ar no canal 2 da NET Brasília, 15 da NET em Goiânia, 15 e 17 da NET em Salvador, e no YouTuBE: TV SUPREN Brasília, levando uma programação só de boas notícias.

O jornal pioneiro e inovador em notícias positivas e não-violentas no Brasil – Notícias SUPREN – foi ao ar, divulgando e fomentando as boas notícias do nosso mundo. Já ganhamos inúmeros prêmios, dentre eles o 3º lugar geral no Prêmio ABRAF de Jornalismo; Finalista do Prêmio Abdias Nascimento de Igualdade Racial, categoria Televisão; e 1º Lugar no Prêmio Gandhi de Comunicação, categoria Internet.

E, em 2008, iniciou-se a implantação do Centro de Referência de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos para a Diversidade Religiosa, em Brasília, uma parceria entre a União Planetária e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Este centro de referência promoveu uma mobilização nacional. As reuniões em estados e municípios, em parceria com as comissões de direitos humanos dos legislativos estaduais e municipais, resultou na criação de diversos fóruns de diversidade religiosa. As visitas in loco também permitiram construir um panorama da gravidade da intolerância e da violência religiosa no país, especialmente para as religiões de matriz africana e as de menor representatividade numérica face à maioria cristã.

Em fevereiro de 2009, a União Planetária firmou parceria com as NAÇÕES UNIDAS, por meio do Departamento de Informação Pública – DPI, em Nova York, para a divulgação de questões relacionadas com mudanças climáticas e com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – ODM, estendendo a atuação da União Planetária para a América do Sul, por intermédio da TV SUPREN, a antiga TV União Planetária e hoje Canal SUPREN. A TV SUPREN passou a transmitir sua programação via satélite e o sinal alcançava a América do Sul. No fim deste mesmo ano, ela se tornou Secretaria-Executiva do Distrito Federal do Movimento Nacional de Cidadania e Solidariedade, que difundiu os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) com o nome “Nós podemos DF”, conhecidos atualmente como Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Ainda em 2009, a UP celebrou, junto ao Ministério da Cultura, através de convênio, o “Pontão de Cultura TV SUPREN”, que promoveu o pontão de comunicação, convivência e paz, envolvendo a estrutura de produção e exibição da TV SUPREN com a difusão de práticas culturais ligadas aos Objetivos para o Desenvolvimento do Milênio da ONU. Desenvolveu ações de formação de agentes de comunicação e cultura de paz em diferentes cidades do país. Foram mobilizados cerca de 150 jovens monitores culturais de cidadania e cultura de paz com programas exibidos na TV.

Com o crescimento da OSC e pelo trabalho desenvolvido, em 2010 foi qualificada pelo Ministério da Justiça e pela Secretaria de Estado de Planejamento e Orçamento do Distrito Federal como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP).

Ainda em 2010, a instituição passou a oferecer aulas de Taichi Chuan à população de Brasília e entorno, de segunda a quinta-feira, no período matutino (7h da manhã), em sua Sede Cultural, no Lago Norte.

Em 2011, seu presidente e fundador, o advogada e humanista Ulisses Riedel, lançou o livro: “As causas da Miséria e sua Superação”, obra que apresenta um ousado projeto de ação sócio-político-pedagógica que, se colocado em prática, irá contribuir, efetivamente, para o processo de eliminação da miséria e da fome no Brasil.

No mesmo ano, a UP firmou parceria com a Empresa Baiana de Água e Saneamento – EMBASA, para intercâmbio de conhecimentos e a atuação conjunta na área de educação, comunicação e meio ambiente local e nacional. Ainda em 2011, criou o Rotary Club Brasília – União Planetária, com o objetivo de atuar na melhoria de vida da população do DF; e lançou o Movimento Brasil sem Pobreza, pautado no primeiro Objetivo do Milênio – erradicar a extrema pobreza e a fome. Cerca de 50 entidades compõem a mobilização.

Em 2012, a UP implantou o Centro de Referência em Direitos Humanos no DF, chamado “Casa de Direitos União Planetária”, que é fruto de uma parceria com a SDH/PR, através de convênio. O objetivo é mobilizar, em torno de uma unidade física baseada no desenho universal de acessibilidade, instituições governamentais, não governamentais e particulares com o objetivo de gerar conhecimento, propor políticas públicas e desenvolver ações de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos.

Ainda em 2012, a União Planetária reativou o Cine Supren, um espaço aberto à comunidade, com sessões gratuitas de filmes, seguidos de diálogos; Firmou parceria com o Senado Federal, convênio que tem como objetivo a cessão de produtos técnicos, educativos, científicos e culturais; Assumiu a gestão da Bona Espero, uma instituição esperantista, que acolheu e alfabetizou mais de 600 crianças em situação de risco social da região de Alto Paraíso, no Goiás; Implementou, por meio de parceria com a Fundação Banco do Brasil, a Estação Digital Varjão,  reconhecida pelo Ministério do Meio Ambiente como Sala Verde, com o objetivo de divulgar e estimular atividades de Educação Ambiental por meio da linguagem audiovisual, além de atender à demanda das estruturas educadoras através de selecionado material multimídia, trabalhando a educação ambiental no despertar da sociedade para a participação nos processos de gestão ambiental local; Fundou o  Aktivisto Veg, grupo criado por jovens vegetarianos, com o objetivo de divulgar e difundir a prática do vegetarianismo no país; E, para concluir, passou a fazer parte do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do DF, no qual participavam secretários de estados, universidades e representantes da sociedade civil do DF para tratar de melhorias para a cidade.

Em 2013, firmou as seguintes parcerias: Com a Embaixada do Cazaquistão, para a divulgação da cultura, arte, espiritualidade e dos valores éticos do Brasil no Cazaquistão e do Cazaquistão no Brasil; Secretaria da Criança, com o objetivo de combater a miséria e apoiar as crianças e adolescentes em situação familiar difícil do ponto de vista econômico, social e efetivo; Defensoria Pública do DF, com o objetivo a viabilidade, estruturação, promoção, divulgação e oferta de educação em direitos, voltados para o atendimento ao projeto Conhecer Direito Online; E com a Universidade Católica, com o objetivo a difusão e o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), bem como o desenvolvimento de atividades no âmbito do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade / Nós Podemos DF.

Já em 2014, reativou o Centro de Saberes. Os encontros, que aconteciam todas as segundas-feiras, tinham como objetivo levar uma nova pedagogia de valores para a sociedade, focando nas virtudes humanas. Além disso, firmou parceria com o Vídeo Data Base da China, para facilitar a compreensão do povo brasileiro acerca da China, e retomou a realização dos luaus mensais em sua Sede Cultural.

No mesmo ano, também em parceria com a SDH/PR, a OSCIP implementou o Núcleo de Enfrentamento a Violência contra à Pessoa Idosa, com o objetivo de acolher, promover, difundir os direitos do idoso no DF. O núcleo, com sede fixa, realizou atendimentos jurídicos e psicossociais gratuitos a esse público.

E em 2015, a UP celebrou mais um convênio com a SDH, através do CONANDA, o “Ecoar: protagonismo em rede”, que teve como objetivo criar 10 núcleos de educomunicação embasados na Educação em Direitos Humanos com 100 adolescentes e jovens comunicadores e comunicadoras, para multiplicação de seus conhecimentos e replicação dos núcleos em suas comunidades no Distrito Federal. São dez oficinas que foram desde fotografia à produção de texto jornalístico ministrados em 9 escolas do DF e mais uma Unidade de Internação de jovens.

Além disso, criou, em parceria com a Universidade de Brasília, o Movimento 2022: O Brasil que Queremos, com o objetivo principal de sugerir e sinalizar caminhos possíveis para o fortalecimento, no Brasil, de uma sociedade humana honrada, livre, justa, fraterna, saudável, harmoniosa e feliz. Ainda, em 2015, criou o Supren Babilado, com encontros culturais, realizados toda última sexta-feira de cada mês, para fortalecer a língua internacional esperanto.

A União Planetária vive e atua graças e, princialmente, aos seus voluntários, por isso, em 2017, como forma de disseminar sua mensagem e unir esforços em prol de um mundo melhor, ela iniciou formações de voluntariado no restaurante Villa Vegana, com o slogan “Seja um voluntário da União Planetária para transformar a si e o mundo.

Em 2018, por meio do Movimento Pedagogia das Virtudes, a UP iniciou o projeto Yoga nas escolas, na escola da 315 Sul, e, em 2019, ampliou para a escola da 708 Norte, iniciativa que consiste em levar, quinzenalmente, as virtudes através da prática do yoga para cerca de 200 crianças entre 6 e 10 anos, do 1º ao 4º ano. Além de trabalhar o exercício físico, a atividade deixa os alunos mais calmos e com maior facilidade de concentração, isso sem falar na melhora do desempenho escolar. O projeto conta com 20 voluntários.

Também em 2018, dentro do Movimento 2022: O Brasil que Queremos, promoveu nove audiências públicas no Senado Federal, na Comissão Senado do Futuro, sobre os seguintes temas: Energias Renováveis; Desenvolvimento da ciência e tecnologia no Brasil; Rumos da economia brasileira; Fronteiras na Educação; Políticas ambientais; Empreendedorismo; A Importância da Ética nas Relações Humanas; Políticas para a Primeira Infância; Qualidade de Vida nas Metrópoles; e Democratização dos meios de comunicação.

Ainda em 2018, o presidente Ulisses Riedel lançou o livro Ecologia Espiritual: Genealogia da Alma, obra que trata de reflexões sobre as bases e os marcos fundamentais, teóricos e práticos para o entendimento das causas da crise espiritual e moral da humanidade e a formulação de um planejamento estratégico, ancorado na espiritualidade, que permita a sua superação.

E, em 2019, Riedel lançou seu primeiro livro infanto-juvenil: Doce Rebelde – A história de todos nós, obra que traz imaginárias lembranças de um menino que centrou suas ações e pensamentos em tentar compreender o mundo, a si mesmo, e atuar, na idade adulta, por um planeta melhor para todos.

2020 foi um ano desafiador e bastante atípico para todos e a UP buscou alternativas para continuar seu trabalho apesar das medidas de isolamento social para conter o coronavírus. Com a equipe trabalhando remotamente e as reuniões transferidas para o ambiente virtual, a União Planetária abraçou o contato pela internet, promovendo conversas e gerando conteúdo para ampliar o alcance de sua visão através das redes sociais e do canal SUPREN no YouTube. Esse novo foco de como dialogar para transformar o mundo também se refletiu em alinhar a mensagem de forma pragmática com ideias já debatidas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável do Pnud/ONU (ODS). O compromisso da UP de apresentar paradigmas para o crescimento ético da humanidade segue firme e a empreitada de melhorar as oportunidades para todo o planeta é uma premissa de evolução social.

Dentre os conteúdos produzidos em 2020, destacamos as videoconferências semanais (lives) do Movimento 2022/2030: O Brasil e o mundo que queremos, abordando questões relevantes sob à luz dos ODS; Os programas Terra, Meu Amor, Yoga para todos e Diálogos sobre a Paz, além das Notas Supren, Reportagens, Pedagogia das Virtudes, Esperanto, dentre outros.

Em mais de duas décadas, a União Planetária empreendeu diversas iniciativas em prol de um mundo melhor, além de inúmeras  ações voltadas aos  ODM e, desde 2015, também voltadas aos ODS.

Os objetivos da União Planetária correspondem aos mesmos objetivos dos ODS, da ONU, e, por essa razão, em 2021, ela adota, como centro de suas atividades, a implementação dos mesmos. Assim, a sua programação, inclusive televisiva, estará voltada, primordialmente, para os ODS, que ampliam expressivamente a percepção do Brasil e do mundo que queremos para todos. Por consequência das transformações, uma nova identidade surgiu para acompanhar o atual ritmo da comunicação da União Planetária e de seu canal de comunicação, com lançamento de um site e redes sociais exclusivos do Canal SUPREN, bem como atualização de seu canal no YouTube e canais por assinatura, trazendo uma programação exclusiva, moderna, com novos elementos gráficos. A identidade visual da TV SUPREN, que agora passa a se chamar apenas SUPREN, foi pensada para a realidade de mídia multicanais. As mudanças também foram implementadas nos principais programas da Supren, considerados carros-chefes da programação, que foram rebatizados com novos nomes.

Além disso, para 2021, um programa infantil – Crianças Transformando o Mundo –  será lançado, buscando levar a visão humanista de empatia e ética para todas as idades.