Centro de Saberes, núcleo de aprendizagem transversal

Centro de Saberes

CENTRO DE SABERES DISCUTE PEDAGOGIA DAS VIRTUDES

Cerca de 20 pessoas se reuniram, nesta segunda-feira (12), no espaço cultural da União Planetária, para pensar um novo modelo de educação.


Gadelha

13/08/2013 10:23 - Atualizado em 09/09/2015 23:37


Centro de Saberes, núcleo de aprendizagem transversal
Cerca de 20 pessoas se reuniram, nesta segunda-feira (12), no espaço cultural da União Planetária, para pensar um novo modelo de educação.

O encontro do Centro de Saberes acontece uma vez por mês e tem como meta o estudo aprofundado dos modelos de educação voltados para o resgate dos valores mais altos da sociedade. Desta vez, o tema escolhido foi “Pedagogia das Virtudes para um novo modelo civilizatório”. A palestra foi proferida pela pedagoga Noemi Salgado, que abriu o encontro explicando o significado da palavra virtude. “A virtude é uma potencialidade e uma força de vida própria do ser humano, que nos faz agir com consciência e movimento. É a fonte da vida que respira de graça em nosso ser. É a dimensão do próprio pulsar da vida criadora”.  

Para Noemi, a virtude é o movimento de energia que nos leva em direção ao outro, e esse encontro só é possível através do autoconhecimento, do conhecer-se a si mesmo. “Sem autoconhecimento não há ativação do descobrimento das virtudes”, ressaltou.

Nessa mesma linha, o presidente da União Planetária, Ulisses Riedel, disse que o movimento Pedagogia das Virtudes, que já reúne 47 entidades e organizações, pretende atuar para tentar exercer uma influência de um novo modelo civilizatório virtuoso e amoroso.

 “É muito mais do que conhecer. É saber como resgatar os valores mais altos, como o da afetividade e generosidade”, reforçou Riedel, ressaltando que é nessa direção que o movimento pretende seguir.

Para outro participante, Roberto de Araújo Lima – que trabalhou durante oito anos com o educador e escritor brasileiro Anísio Teixeira –, se as pessoas não forem solidárias, elas não serão humanas.

Educação Disciplinar

Durante a palestra, a pedagoga Noemi refletiu a respeito do modelo de educação disciplinar. Para ela, esse modelo não faz conexão entre as disciplinas e não está a serviço das virtudes. “É uma educação que inibe o aflorar das virtudes e sempre alimenta o medo”, disse, lembrando, ainda, que esse modelo de educação está focado apenas na aquisição de conhecimento.

 Noemi sugeriu um modelo de educação que desperte as virtudes, a arte de aprender ou a arte de autoconhecer-se.

O filósofo Jiddu Krishnamurti, no livro “A educação e o significado da vida”, defende uma educação que transforme o educador.

“A educação verdadeira começa com o educador, que deve compreender-se e estar livre dos padrões convencionais de pensamento. (…) O problema, portanto, não é a criança, mas o pai e o preceptor. O problema é educar o educador”.

 Nesse sentido, Noemi aposta em um plano educacional para trabalhar a formação de educadores e, segundo ela, esse é um dos objetivos do movimento Pedagogia das Virtudes.


Comentários

Seu comentário foi enviado com sucesso, em breve será exibido.