A história da União Planetária (UP) começou muito antes da sua inauguração em 1997! Um grupo de amigos e idealizadores de livre pensamento de várias áreas distintas reuniam-se para discutir política e espiritualidade, e em uma dessas conversas decidiram que era preciso agir. A ONG nasceu com uma vontade enorme de fazer o bem a partir da percepção de que a unidade da vida se completa com uma atitude amorosa e solidária. A UP iniciou suas atividades desenvolvendo e apoiando projetos sociais, educacionais e de comunicação no Brasil e no mundo, disseminando exemplos positivos e os resultados produzidos por quem acredita na evolução da humanidade através dos valores e do relacionamento saudável entre todos.

No ano de 2007 a ONG criou a TV SUPREN, que teve seu sinal distribuído para mais de 20 estados brasileiros, para realizar uma comunicação amorosa de mudança de paradigmas. Supren em esperanto indica o sentido “para cima”, “para o alto”, como up em inglês. Assim é a proposta da nossa TV que valoriza a dimensão espiritual e maior do ser humano. Os meios de comunicação têm um papel fundamental na sociedade moderna, mas o fato é que há uma escassez de mensagens positivas. Atualmente a TV SUPREN está 24 horas no ar no canal 2 da NET Brasília e retransmite conteúdo em Salvador, Goiânia, Maceió e Rio de Janeiro.

O jornal pioneiro e inovador em notícias positiva e não-violentas no Brasil – Notícias Supren – foi ao ar. De lá para cá segue divulgando e fomentando as notícias positivas do nosso mundo. Já ganhamos inúmeros prêmios, dentre eles o 3º lugar geral no Prêmio ABRAF de Jornalismo, Finalista do Prêmio Abdias Nascimento de Igualdade Racial, categoria Televisão e 1º Lugar no Prêmio Gandhi de Comunicação, categoria Internet.

E, em 2008, iniciou-se a implantação do Centro de Referência de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos para a Diversidade Religiosa, em Brasília, uma parceria entre a União Planetária e a SDH/PR. Este centro de referência promoveu uma mobilização nacional. As reuniões em estados e municípios, em parceria com as comissões de direitos humanos dos legislativos estaduais e municipais, resultou na criação de diversos fóruns de diversidade religiosa. As visitais in loco também permitiram construir um panorama da gravidade da intolerância e da violência religiosa no país, especialmente para as religiões de matriz africana e as de menor representatividade numérica face à maioria cristã.

Em fevereiro de 2009, a União Planetária firmou Parceria com as NAÇÕES UNIDAS através do Departamento de Informação Pública – DPI, em Nova York, para a divulgação de questões relacionadas com mudanças climáticas e com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – ODM, estendendo a atuação da União Planetária para a América do Sul, por intermédio da TV SUPREN, a antiga TV União Planetária. A TV SUPREN passou a transmitir sua programação via satélite e o sinal alcançava a América do Sul. No fim deste mesmo ano ela se tornou secretaria-executiva do Distrito Federal do Movimento Nacional de Cidadania e Solidariedade, que difundiu os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODS) com o nome “Nós podemos DF”.

Ainda em 2009 a UP celebra junto ao Ministério da Cultura, através de convênio, o “Pontão de Cultura TV SUPREN” que promoveu o pontão de comunicação, convivência e paz envolvendo a estrutura de produção e exibição da TV SUPREN com a difusão de práticas culturais ligadas aos objetivos para o desenvolvimento do milênio da ONU. Desenvolveu ações de formação de agentes de comunicação e cultura de paz em diferentes cidades do país. Foram mobilizados cerca de 150 jovens monitores culturais de cidadania e cultura de paz com programas exibidos na TV.

Com o crescimento da ONG e pelo trabalho desenvolvido, em 2010 foi qualificada pelo Ministério da Justiça e pela Secretaria de Estado de Planejamento e Orçamento do Distrito Federal como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP).

Em 2012 a UP implanta o Centro de Referência em Direitos Humanos no DF, chamada “Casa de Direitos União Planetária”, que é fruto de uma parceria com a SDH/PR, através de convênio. O objetivo é mobilizar, em torno de uma unidade física baseada no desenho universal de acessibilidade, instituições governamentais, não governamentais e particulares com o objetivo de gerar conhecimento, propor políticas públicas e desenvolver ações de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos.

Também em parceria com a SDH/PR a OSCIP, em 2014, implementa o Núcleo de Enfrentamento a Violência contra a Pessoa Idosa com o objetivo de acolher, promover, difundir os direitos do idoso. O núcleo com sede fixa realiza atendimentos jurídicos e psicossociais.

E em 2015, a UP celebra mais um convênio com a SDH, através do CONANDA, o “Ecoar: protagonismo em rede” que tem como objetivo criar 10 núcleos de educomunicação embasados na Educação em Direitos Humanos com 100 adolescentes e jovens comunicadores e comunicadoras que multipliquem seus conhecimentos e repliquem os núcleos em suas comunidades no Distrito Federal. São dez oficinas que vão desde fotografia a produção de texto jornalístico ministrados em 9 escolas do DF e mais uma Unidade de Internação de jovens.